Naquela noite
















Todos os segundos transformados em horas.
Todas as vontades resumidas ao ato.
Catei-lhe os cinco sentidos e os amarrei como reféns.
Os membros dormentes pareciam não ter apoio.
E nesse momento as curvas todas cabiam em minha mão.
A vida inteira, exprimida em minha mente.
O vapor da pele subia feito água quente em tarde de domingo.
E então, na melodia amedrontada da respiração,
Tropecei de face nos dizeres calados daquele momento.
E antes que me intimidasse com olhos de chantagem,
Abracei-a com a boca que por direito é dela.
Tomando-lhe o fôlego,
Que por conquista,
É meu.

                                                     (Halifas Quaresma)

Comentários

  1. "E nesse momento as curvas todas cabiam em minha mão.
    A vida inteira, exprimida em minha mente."

    muito bom!

    beiijo,
    *.*

    ResponderExcluir
  2. Arrgh...meio que sem comentários!!!

    Maravilha!!!
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Carol, só tenho a agradesser seus comentários aqui no blog...^^

    Beijos linda.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Chama