Dessa guerra




A guerra que outrora vi nascer,
Condensada em um peito embriagado com o que bebeu dos horrores vivos,
Agora clama por uma bandeira branca que abrace tudo que é ferido.
Travada pelos sentidos vãos que sustentavam meus olhos,
Esta mágica maneira de dizer não, ao medo,
Acabou por destruir campos inteiros, de lábios em risos.
Transformando-os na areia cinzenta, umedecida a sangue, que se despedia entre os dedos.
A coragem só nasce quando de fato conhecemos os pavores.
E esses só servem para que a carne e os ossos sejam um.
Não interessa qual conquista se pretende alcançar com tal guerra.
Já é o bastante saber que existe paz em algum lugar.

                                               (Halifas Quaresma)

Comentários

  1. A certeza de paz é melhor que o medo da guerra.

    Adorei o texto, Halifas.

    ResponderExcluir
  2. Halifas,

    Queridooooooooo do meu coração.

    Sinto saudade de passar aqui, mas o tempo (A falta dele) tem me judiado rs.

    Lindo tudo que escreves.

    Mudei meu msn tá, aquele não consigo mais entrar.

    O novo:

    silvia_hbaaa@hotmail.com

    Beijoooo

    ResponderExcluir
  3. A certeza da paz está dentro de nós, e junto com ela tudo que pode nos afastar da guerra.

    ResponderExcluir
  4. Alice, como gosto do teu nome...=), adoro te ver aqui. Sil minha linda, saudades de te ver por aqui. Minha vida também anda uma confusão só, beijos.

    Mariiii. . .saudades de conversar contigo. E é mesmo a paz algo que constrimos por dentro, tudo que nos distancia de algo cruel e impensável.

    Beijos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Consentir

Chama

Um sorriso