Alforria-me















Por que me prendes em teus dedos?
Já arrancou de mim toda saliva de minhas idéias
E já sugou do meu corpo toda vontade e ausência.
O que ainda resta oferecer?
Meus olhos vendados e mal gastos?
Minha pele mal tocada e mal vestida?
Ou minha língua, que já não prova do gosto da verdade?
Diz o que desejas, ainda, escravizar.
Fala da tua vontade de acorrentar-me em veias
A essas tuas letras, palavras e tintas frias.
Já tomaram de mim todas as horas que cabiam no meu pulso.
Não te restam muitos anseios.
Negociaria anos de juventude
Por miseráveis minutos de alforria.
Só pra ter o gostinho de uma vida sem poesia.
De uma alma sem alimento.
Sei que não sobreviveria.
Mas valeria a pena,
Dedicar-te menos segundos de minha vida.
Oferecer-te menos gotas de meus momentos.

                                            (Halifas Quaresma)

Comentários

  1. Bem profundo, e lindo!

    Como sempre arrasa!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu blog estou te seguindo!

    ResponderExcluir
  3. Karine minha linda....Obrigado! Adoro-te.

    Alice minha linda...só ouça o grito de desespero. É realm,ente triste às vezes, mas na maior parte do tempo, me arranca sorrisos =).

    Olá Verônica, sejamuito bem vinda, e fique a vontade para passear sobre qualquer chão que encontrar por aqui.

    Beijos. . .

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Consentir

Chama

Um sorriso