Tomai















Não tomem por poeta esse eu desconhecido.
Basta-me saber que por quilômetros afora
Carregam-me, no peito, em forma de letras.
Nem tomem por arte aquilo que cicatrizo no papel.
Apenas tomem por amigo o reflexo de seus espelhos.
Tomem por amores os abraços da alvorada.
E por poesia,
A vida que escrevemos todos os dias. . .

                                (Halifas Quaresma)

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Chama