Acaso

















É como voar dentro d’água,
Tocando o rosto do silêncio, sem medo de cair.
Hoje eu posso desenhar os meus desejos
E fazer sombras para evidenciar o sol.
Sabendo que jamais precisei acreditar em mentiras,
Transformei meus olhos em mera coincidência.
Pois, enquanto um dia chamei de ‘nunca’ meus pensamentos
Hoje, a cada choro sincero
Quase posso tocá-los em meu rosto.
Quase.
Apenas quase...

                              (Halifas Quaresma)

Comentários

  1. O quase é apenas um triz e...

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. O nunca sempre aparece.

    Como sempre aqui, exalando sua alma de poeta!

    Grande Beijo e saudades!

    ResponderExcluir
  3. O quase anda me angustiando,


    Mas estou quase lá, onde quero estar,


    Bjka

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Consentir

Chama