Das manias da Vida




















O desejo pálido estampado no céu de outono
Convida o corpo,
Cansado e tímido,
Às carícias da vida
Que lá fora canta em um eco infinito.
Repetindo as luzes
E as dores.
E ás vezes,
Ao passo em que a morte se distrai,
Deita-se no peito quente de algum desavisado.
E pede dedos que a façam dormir.
Do meu,
Simplesmente fez-se dona.
E sem prévio aviso, castigou-me com o sorriso.
Agora,
Eu vejo as cinzas do meu rosto dançando em pleno ar.
Levando de mim
A eternidade que eu carregava no ego
E os anos que se desprendiam dos olhos.


                                                     (Halifas Quaresma)

Comentários

  1. "Castigou-me com o sorriso..." Lindo isso! Que saudade daqui, de tuas palavras, Halifas.

    Um beijo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Consentir

Chama