25 de nov de 2011

Insiste




















Ainda visitas meu sono,
inconvenientemente sem aviso.
Ainda perturba meus ouvidos,
insuportavelmente sem assunto.
Na distração do meu cerne,
convidas, ofegante,
minha memória.
Para lembrar-me que ainda vagas no silêncio.
E que na impalpável vida que tivemos
Reside o jamais que aconteceu.


                                                                  (Halifas Quaresma)

9 comentários:

  1. Sempre intenso Halifas.

    E sempre estão sendo acordadas no hoje, o que ontem não aconteceu.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. E quando acordo, ainda sinto seu cheiro, comigo,

    ResponderExcluir
  3. Oi Halifas,

    Lembranças...
    Que bom te ler!!

    Beijo meu

    ResponderExcluir
  4. Eu diria que essas visitas já se tornaram pesadelos, mas...

    Um beijo, Halifas.

    ResponderExcluir
  5. E eu deixo q insistas...
    Quão forte, Halifas! Sempre ótimo lhe ler!

    ResponderExcluir
  6. essas insintencias mesmo ausentes nao conseguem ser insípidas,se fossem certamente morreriam na lembrança e dormiriamos em paz. abraço

    ResponderExcluir
  7. A palavra que encontrei pra descrever: Profundo. Muito profundo.
    Tem que ler nas entrelinhas, cheias de rimas e de expressões.

    Te cuida, moço :*

    ResponderExcluir