À mostra















 
A virtude que nasce dos olhos descansa no queixo e se joga ao chão.
Tão transparente quanto a face que se quebra em sinceridade.
O homem que chora rasga a carne e deixa exposta,
Sem nome,
Ou hora,
Sua verdade mais humana.
Tão limpa e silenciosa,
Quanto as lágrimas que se suicidam no íntimo de um sorriso.

                                                           (Halifas Quaresma)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Chama