1 de set de 2013

Sorrisos Grátis




















Mania que se tem de achar que o sorriso que te conquistou foi realmente para você. Às vezes foi só um vislumbre da educação do outro que, acidentalmente, esbarrou no momento do seu olhar. Às vezes nem isso.

Pode-se desconfiar de muita coisa nessa vida, mas é muito duro e difícil entender que o doce delírio, todo óbvio na sua face abobalhada, é só a reação incomum de um ser humano que recebeu o mínimo de carinho e atenção que sempre desejou para si. E quando se insiste na velha história do “nunca aconteceu comigo antes”, é mais difícil ainda entender o acaso intrometido, ou o destino distraído. Tanto faz.

O nosso coração está sempre aberto a boas surpresas, mas nunca consegue digeri-las. “Isso acabou de acontecer?”, “Ela(e) falou mesmo comigo?”, “Por que esse sorriso?”. A dúvida é só uma maneira de nos fazer entender, que a surpresa poética escondida nos corredores de um supermercado ou na fila de um cinema, é o inesperado da vida lhe apresentando a novidade que deveria guiar a sua vontade de viver.

Ou ainda uma maneira de dizer, que não importa o quanto as pessoas se distanciem e se isolem em suas confortáveis maneiras de ser. Será sempre necessário apaixonar-se por um gesto alheio, encantar-se por culpa de alguém, ou deturpar as coisas achando que aquele sorriso foi o primeiro passo para um amor eterno.

O simples da vida cabe nas linhas de uma mão. Por isso deve-se sempre armá-las de retribuição e não ter medo de usar a munição que tem. Responder ao carinho do outro, é só uma das maneiras de avisar ao mundo que estamos todos na mesma expectativa. Aquela de que um dia, o simples ato de sorrir, não assuste ninguém. E se torne uma rotina tão comum, quanto um dia foi o ato de achar que estamos sozinhos nos nossos dias.


                                                                            (Halifas Quaresma)

Nenhum comentário:

Postar um comentário