16 de set de 2010

Desjejum















Hoje eu acordei com olhos meio nus.
Precisavam de alimento que os fizesse lágrimas de bondade e alegria.
Meio tonto do sono interminável, acordei com um olhar desprendido,
Meio que sem compromisso com o mundo.
Eu hoje deslizei pela sensação de acordar.
Passei reto pelo velho ritual de olhar no espelho.
Fui contando gota a gota, o líquido que vinha dos canos lavar meu corpo,
Manchado, de todos os golpes que, enfurecida, a vida me deu até aquela manhã.
Descansado em memórias,
Tomei centímetros de preocupações e dúvidas no café.
Mais o gosto doce que escorria pela boca, não era o açúcar misturando-se a saliva.
Eram os grãos de areia,
Que da ampulheta,
Caiam marcando o passado que me abordava vez ou outra
Só pra me lembrar que mesmo velho de amores,
Esmagado de erros por todos os poros
E estupidamente humanizado de forma adulta,
Em algum ponto da minha história a vida era doce.
Em algum lugar do ontem, meus pés pisavam a lama sem nojo.
Em alguma parte das minhas lembranças as gotas da chuva tinham gosto de céu.
Acho que é pra isso que serve o hoje.
Pra nos lembrar que um dia fomos crianças.

                                                                     (Halifas Quaresma)

6 comentários:

  1. O hoje também é 'amanhãs' esperendo por nós com todas as suas surpresas.

    :*

    ResponderExcluir
  2. E pra nos lembrar de como tudo um dia já foi fácil.
    Lindo texto!

    ResponderExcluir
  3. "Só pra me lembrar que mesmo velho de amores,
    Esmagado de erros por todos os poros
    E estupidamente humanizado de forma adulta,
    Em algum ponto da minha história a vida era doce."
    A vida nunca é tão ruim quanto parece, basta mudarmos os angulos por onde olhamos. Adorei aqui, tambem to te seguindo :**

    ResponderExcluir
  4. Obrigado....a cada visita que recebo aqui, me sinto suficientemente capaz de fazer um pouco mais do que faço...

    Alice e Gaby....adoro muito vocês duas...

    Bahh e Luana, muito obrigado por me fazer sentir que minhas palavras são algo bom de ler...

    Beijos...

    ResponderExcluir
  5. Eu poderia escrever "sem comentários", porque sempre comento aqui que ler você é um alimento a alma.
    Mas é impossível não comentar sobre o doce que tivemos e que TEMOS em nossas vidas. Vc é algo doce na minha, acredite.
    Beijos,meu poeta! Nunca pare de nos brindar com suas linhas...

    ResponderExcluir